domingo, 16 de janeiro de 2011

Novo Yak55M - Nova Pintura

Com um ciclo de vida de aproximadamente 4 meses, com o uso e tombos, precisei construir mais um “Yakinho” e bolei uma pintura que resolvi documentar a evolução pois achei que o resultado ficaria bom.

Esse avião traz como novidade a utilização de um depron 20% mais leve do que o normalmente usamos. Assim usamos o Depron Aero (Formerly Gediplac), muito parecido com o depron utilizados nos kits Ikarus e no Sultimate (Donatas) da Donuts Models. Esse depron é sim mais leve, porém achei que ele é mais maleável e acredito que com o tempo ele vai ceder bastante o que reduz a vida útil do avião para vôos de alta performace. Mas vamos ver no que vai dar, com o tempo eu falo se ele é bom ou não. Acredito que para um avião novinho, vai ficar muito bom.


O avião já montado, com peso final de 137g (com bateria).






Então abaixo segue o processo de corte pintura e montagem do novo “Yakinho”.







Preparação do depron para corte







Avião já cortado







Preparação dos stencil da asa. Neste ponto guarde a parte de baixo, pois depois facilitará muito para fazer o efeito do descascado. Não guardei e no final precisei cortar um a um.







As isolações já coladas nas asas e na fuselagem.







A preparação das isolações do dorso do avião







Pintura de fundo na cor verde










Pintura do dorso na cor vermelha com bordas sombreadas com preto.







Isolação e pintura das linhas sobre o verde na fuselagem e asas.




Pintura faltando o efeito de “rasgado”.






Isolação das asas para o efeito de “rasgado”, neste ponto que é bom ter guardado a isolação para poder aproveitar os triângulos para o efeito.




Pintura do efeito de rasgado, foi usado a cor cinza para fazer o efeito tridimensional, porém acredito que com preto também ficará bom. Em cada triangulo fiz com que a cor de um dos lados fique mais forte, e sempre no mesmo lado para todos os triângulos. Isso reforça a percepção de profundidade.










Nos rasgos que não dão para fazer o efeito de inversão do papel, foi feito um sombreado para para também criar uma percepção de profundidade.







Fiz um efeito de vidro quebrado para o canopi (ver isolação). Só usei esse efeito pois estraguei a pintura do canopi em azul. Quando for usar fita crepe sobre a pintura é bom tirar um pouco da cola da fita para evitar que ele descasque a tinta quando for retirar.







Fiz um pequeno detalhamento que foi colocar duas estrelas brilhantes no escrito ACA. Foi usado um stencil de estrelas e feito um efeito de nevoa em volta de cada estrela para o feito de brilho.










E o trabalho final de pintura.





Pintura do ANAS

O Bruno Visconte me procurou para realizar uma pintura em seu novo avião de F3A, o ANAS de fabricação XXX, em fibra de vidro moldada a vácuo, que resulta em uma estrutura de fibra extremamente fina, com isso extremamente leve. Com este avião ele foi campeão brasileiro de 2010 de F3A. Ainda devo uma postagem sobre esse assunto.


Optamos por uma pintura simples, para que o avião não ganhasse peso com a pintura.


Então nosso amigo Henrique proprietário da Só Riscos especialista em pintura de automóvel fez uma base bem fina em branco. Para pudéssemos fazer os detalhes sobre o branco. Pois originalmente o avião vem sem fundo algum, diretamente na fibra.


Assim bolamos uma pintura na hora, e o Henrique com sua grande habilidade, realizou a isolação da pintura, com isso o trabalho de pintura ficou simples, e todo mundo participou da pintura, o Henrique, o Bruno e eu.


Segue as fotos do processo:




Isolação e a pintura da parte amarela, a área do flames também isolada.






Área da pintura do flames isolada com vinil.





Aplicação do detalhe em vermelho sobre o amarelo, aproveitando o isolamento.





Já com a pintura do vermelho com detalhe em preto e o canopi pintado em azul.





Bruno fazendo a pintura do flame que utilizou a cores, verde, azul metálico e preto.







O flame da ponta do avião já terminado.





Já com as asas montadas e verniz aplicado na fuselagem. O trabalho da aplicação de verniz foi realizado pelo Henrique, que fez uma fina camada para não agregar peso ao avião.








Trabalho Final.



sábado, 15 de janeiro de 2011

Electric Shock

Há muito tempo quando ainda estava morando em Manaus, comprei um Electric Shock, na época era febre na cidade, todo mundo tinha um. Eu comprei mas nunca montei, pois nessa mesma época consegui uma planta de Extra 330 da 3D Batix. Com isso, não julguei ser vantagem montar um Electric Shock. Voltei para Belo Horizonte, e ele ficou guardado esse tempo todo.

Tentei vender o avião mas pouca gente aqui conhecia, então nunca achei um comprador. Por fim pensei: “vou montá-lo para voar, pois é bem melhor do que ficar guardado no armário.”

O avião é fabricado pela Precision Aerobatics, uma empresa australiana que por sinal fabrica aviões de alta qualidade com um acabamento impecável. Porém pela falta de um representante da empresa no Brasil, existem muito poucos modelos da Precision por ai.

Como características, temos um avião shock fly, em balsa, com asa perfilada, bem fun fly. A estutura toda feita em balsa com linkagem e reforços em fibra de carbono, as asas são extraíveis, e possuem uma baioneta de fibra de carbono. Todas as peças necessárias para a montagem, exceto a eletrônica, vêem no kit. Até a qualidade da caixa é boa, com todas as peças bem protegidas.





O kit possui um manual de montagem (em inglês) muito detalhado. Seguindo os passos do manual, em 15 minutos o avião vai estar pronto para voar. Ai você gasta mais uns 5 minutos para configurar o rádio: ATV, Sub Trim (não necessário se fizer uma boa montagem), reversão, Rates e Exponenciais.


A montagem foi tão rápida que quando percebi, já estava com o avião praticamente montado então não deu para documentar o processo muito bem.



Na foto anterior, temos os servos já parafusados nas asas. Os servos do leme e do profundor também estão instalados na asa. E as asas já posicionadas. A vantagem que a montagem praticamente se resume a montar os servos, montar o motor, encaixar as asas e fazer a linkagem (que vem praticamente pronta)








Fotos do final da montagem onde dá para se ver a qualidade do acabamento do avião.


O primeiro vôo foi ótimo, não precisou nem trimar. Teve um problema, pois a hélice que usei estava desbalanceada e estava causando vibração em rotação mais alta. Com a troca por uma hélice de qualidade melhor o problema resolveu o avião voa perfeitamente. Fico devendo um vídeo.


Dados do avião:

Eletric Shock

Fabricante: Precision Aerobatics

Motor: Hyperion Z-2213

Servos: Turnigy MG90S Metal Gear 1,8kg 13,4g

Speed: Castle 18A

Bateria: Rhino 3S 1050mA 20C

Hélice: APC 10x3,8

Pintura do P51 Red Bull Race

O Bruno comprou esse avião e cismou de pintar. Fez um pintura em verde e para ele não ficou bom. Deu o avião para a namorada dele (Raquel) que também voa. Ele me pediu para melhorar a pintura e me mandou uma foto de um avião com pintura da Red Bull para servir de base.




Comecei realizando a preparação dos stencil que foram cortados a mão em vinil.






As asas sendo pintada com o Logo da RED BULL.











O trabalho final foi utilizado azul marinho com efeito de “ghost flames” e estrelas. Foi feito um flame com máscara de fita crepe na ponta avião.





O resultado final.