quarta-feira, 30 de abril de 2008

Batemos em pleno ar

Parece até brincadeira, mas foi tudo registrado sem querer.




Por sorte apenas um estragou, mas nada muito grave:

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Antena de 25cm para receptores 72mhz

Esta antena serve para qualquer receptor de 72mhz, e diminui em 4X o tamanho original, ficando com 25cm apenas. O indutor de 1,5uH serve como um filtro deixando passar apenas a freqüência de 72mhz. Além do receptor Berg, essa antena foi testada também em um micro receptor GWS, conseguindo resultados melhores que a original de 1mt, os glitch's(falhas) desapareceram.
O resistor pode ser também de 1/4W, que é o que foi usado na foto, caso tenha habilidade para conseguir enrolar a bobina.
Esse projeto foi retirado do www.aeroseletricos.com.br e corrigida a imagem.


segunda-feira, 21 de abril de 2008

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Electric Shock de Isopor e Pluma

Fizemos uma cópia em isopor do famoso Electric Shock da Precision Aerobatics.

O modelo foi feito com isopor para a asa, e pluma 5mm para a fuselagem, na fuselagem foram usadas duas chapas de pluma em sanduiche, nas partes moveis foram usadas apenas uma chapa.

O modelo ficou muito bom em vôo, um vôo parecido com o de um Shock Flyer. Nunca voei o Electric Shock original, mas creio que ficou bem próximo. Consegui executar todas as manobras que executo no Shock Flyer com facilidade nele, com uma vantagem dele "cortar" melhor o vento, não balança tanto quanto um Shock Flyer.

Porém é um modelo mais pesado, o peso também ficou ótimo, só as peças em isopor e pluma antes da montagem ficaram com 150g, contra 195g do original, pronto para o vôo com a bateria ele ficou com 380g. Um detalhes que pretendemos melhorar no próximo é o peso de cauda, ele ficou com um pouco de peso de cauda que foi compensado com um chumbo de 35g na frente para este primeiro vôo, o próximo estamos estudando como aliviar peso na cauda.

Para deixar a fuselagem firme, usamos ao longo dela na parte de baixo, duas varetas de fibra de fidro 2mm em paralela colada com epoxi, que podem ser visualizadas nas fotos que detalham o receptor e servos, não deu a resistencia desejada, mas não atrapalhou em nada o vôo. Em breve postaremos um vídeo.

Setup:
  • Motor E-Max CF 2822
  • Speed TowerPro Mag8 - 18A
  • Servos GWS Naro
  • Receptor Berg Micro Stamp 4L
  • Bateria Thunder Power 3S - 1320mA

Detalhes da ASA:
Detalhes da fuselagem, profundor e leme:
Pronto com a eletrônica:

Pronto sem a eletrônica, após o primeiro vôo:
Detalhes da eletrônica, e das varetas de fibra de vidro:




Primeira lenha no primeiro vôo, mas voou minutos depois após a cola:

Em breve mais uma novidade da ACA, aguardem...

terça-feira, 8 de abril de 2008

Voos de sabado 05/04 em Manaus

Show do Batuta:


Eduardo(Japa), mecânico não oficial do Batuta. A partir do 2º min o Batuta assume o comando:

Extra 330 3D feito com restos...

Extra 330 3D feito com restos de pluma, depron e aero lenhado.



Mascara para fazer a pintura quadriculada:

Tampinha de refrigerante para fixar o motor:

sábado, 5 de abril de 2008

Batuta lenhando em Manaus



Nessa ai das fotos ele achou que era o Donatas Pauzuolis passando o aero por trás dele, numa dessas o aero não saiu do outro lado.


terça-feira, 1 de abril de 2008

Donatas Pauzuolis e Benoit Dierickx Em Ação



Carregador LiPo 3S - 12V

  • Este circuito suporta apenas 1,2A de corrente de carga, acima disso a parte do booster 12V para 18V que termina nos diodos fast recovery, irá desarmar o circuito.

  • Para a construção de L1 é necessário um ferrite toroidal de +/- 2,5cm de diâmetro externo, esse ferrite é muito comum em fontes de PC. Será necessário enrolar +/- 90 espiras de fio 21AWG(ou aproximado).

  • Os diodos D2, D4 e D5 são fast recovery podendo ser apenas um, ou dois, dependendo da corrente suportada por eles, que deve ser um conjunto de no mínimo uns 10% acima da corrente de carga da bateria. Esses diodos também são muito comuns em fontes de PC.

  • O transistor IFRZ44N, e os dois LM317, precisam de um bom dissipador de calor, de preferencia um usado em processador de PC(5x5cm), juntamente com o cooler. Dos três, IC1 é o que mais aquece.

  • A placa de circuito impresso tem aproximadamente 6x5cm.

  • O conjunto de R7,R11,R12,R13 e R14 controlam a corrente de carga da bateria, no caso todos são de 1 ohm, totalizando, 1,25 ohm. A conta para saber quais resistores usar no circuito é: R = 1.25/corrente desejada, neste caso a corrente desejada foi 1A. Outro exemplo, para 0,7A de corrente: R=1,25/0,7 o conjunto de resistores será 1,78 ohms.

  • A tensão de saída deverá ser ajustada pelo tri-pot R10 para 12,6V. No final da carga quando a tensão da bateria chegar próximo a tensão de saída de 12,6V, a corrente irá cair quase chegando a 0A. É importante acompanhar a carga e desligar o carregador no fim, para não correr o risco de danificar a bateria.

  • Para usar baterias 2S basta ajustar o tri-pot R10 para a saída ficar em 8,4V.

Placa e circuito Eagle, e mais detalhes do carregador no pacote de arquivos AQUI.